Sam Richardson | Desligar a Câmera com Sam Jones

a Ser conhecido como o menos desagradável personagem em Veep, embora não exatamente um elogio, fala com a serena, idiota entusiasmo de Richard T. Splett, como e qualidades semelhantes em Sam Richardson, que era para jogar com ele para um episódio, e a ferida é permanente e membro do elenco. Antes que isso comece a soar como um insulto, o próprio Richardson uma vez disse ao Clube A. V. que ser um idiota “é o meu pão e manteiga. Eu sou essa pessoa, e gostava que as pessoas não soubessem.”Bem, eles sabem agora, mesmo que não concordem. O Detroit Free Press chamou – o de um dos pontos altos do show, e GQ foi mais longe. “Mesmo entre companhias competitivas e engraçadas, é geralmente a melhor aposta para ficar de olho no Richardson.”

Como Splett-e comédia props para quem veio com o sobrenome-ele é confiante incompetente e não questiona o poder que ele tem de forma alguma ganhou. Então, não o podes culpar por não estar contente do que lisonjeado quando os verdadeiros funcionários da Casa Branca o elogiam pela precisão do seu retrato. E quaisquer comentários auto-depreciativos sobre o seu QI à parte, Richardson tem uma coisa planeada: nada é mais engraçado do que alguém que não sabe dos seus próprios pontos cegos.em criança, ele fazia viagens regulares de sua cidade natal, Detroit, para visitar a família em Gana. Estas viagens, e a falta de irmãos de idade próxima, deu-lhe muito tempo sozinho para assistir o elenco diário de personagens ao seu redor. Como resultado, ele compilou um vasto saco de impressões antes de chegar ao Liceu. Foi quando um pequeno desastre aconteceu. Só depois de ter sido admitido no Liceu Jesuíta de Detroit é que percebeu que era uma escola só para rapazes. Quando um autocarro cheio de raparigas apareceu um dia para uma audição para uma peça da escola, mais um rapaz hormonal descobriu o seu amor pelo teatro.enquanto adolescente, ele teve aulas de comédia e improvisação com uma trupe de Detroit. Graduou-se e matriculou-se na Wayne State University para estudar teatro, mas logo desistiu para se apresentar em tempo integral com os grupos de teatro Second City sketch em Detroit e Chicago, onde sua gama de personagens se tornou seu cartão de comédia. Ele partiu para L. A. em 2012 e fez aparições em vários filmes, bem como episódios do Escritório e Arrested Development. O movimento levou ao trabalho constante em Veep, Detroit stills paire em seu coração; seu profunda, cega de amor por sua cidade natal, inspirado sua nova Comédia Central mostrar Detroiters, em que ele e o co-star/co-escritor Tim Robinson jogar dois locais anúncio homens cujo trabalho não é o material do Superbowl halftimes.como Richardson descreve, é ” Mad Men’s Sterling Cooper, se ele foi dirigido por dois idiotas. A agência deles passou de anúncios para a Pan Am para anúncios para uma loja de perucas local.”Se você questiona o potencial cômico da premissa, lembre-se por um momento do exuberante, não sofisticado e inadvertidamente hilariante carro usado, eletrodomésticos e pitchmen carpete de sua própria juventude de TV noturna. E quem melhor do que um génio a encarnar essas qualidades para as trazer à vida?

Detroiters (que tem sido filmado localmente) é também uma carta de amor para uma cidade cujas pessoas e reputação parecem maduras para um retrato mais equilibrado do que o que eles receberam na mídia. O presente de bónus que o Richardson nos está a dar não-Detroitores está incorporado no programa.: Braying, antic e, de alguma forma, poignant trinta segundos lugares que suspeitamos ter um futuro independente no YouTube. No que diz respeito ao futuro de Richardson, a previsão mais segura já foi feita: mas espera…há mais!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.